QUAIS AS CAUSAS MAIS FREQUENTES DA OBESIDADE? INFLAMAÇÃO? GORDURA?
essência de menta blog
O QUE É ESSÊNCIA DE MENTA? QUAIS OS BENEFÍCIOS?
11 de abril de 2019
O que é a Andiroba e quais são seus benefícios?
O QUE É A ANDIROBA E QUAIS SÃO SEUS BENEFÍCIOS?
11 de junho de 2019
Exibir tudo

QUAIS AS CAUSAS MAIS FREQUENTES DA OBESIDADE? INFLAMAÇÃO? GORDURA?

Quais as causas mais frequentes da obesidade? Inflamação? Gordura? blog

Quais as causas mais frequentes da obesidade? Inflamação? Gordura?

Quais as causas mais frequentes da obesidade? Inflamação? Gordura?
Dentre causas mais frequentes da obesidade, a mais comum é a alergia alimentar. Na alergia, o organismo encara proteínas específicas de um alimento como inimigas e envia células de defesa para barrá-las. Nesse mal-entendido, o corpo acaba agredido.

Quando a pessoa é alérgica a uma substância em particular, tal como um alimento ou de pó, o sistema imunológico erroneamente acredita que esta substância normalmente seja inofensiva, na verdade, é prejudicial para o organismo.

Numa tentativa de proteger o corpo, o sistema imunitário começa uma reação em cadeia que solicita algumas das células do organismo para libertar histamina e outros produtos químicos para a corrente sanguínea.

QUAIS AS CAUSAS MAIS FREQUENTES DA OBESIDADE? INFLAMAÇÃO? GORDURA? SAIBA MAIS!

A histamina pode provocar inflamação direta, bem como indiretamente, portanto, um aumento descontrolado na retenção de líquidos e também muitos outros sintomas. Na maioria dos casos a reação alérgica é leve, causando o inchaço e aumento de peso apenas, levando a pessoa ao desespero, pois faz dietas e exercícios sem obter resultados no emagrecimento. Nesses casos a solução é cortar da dieta os alimentos causadores da reação alérgica.

PROTEÍNAS MAIS COMUNS QUE CAUSAM A REAÇÃO ALÉRGICA

Glúten (trigo)
Caseína e lactose (leite e derivados)
Albumina (ovos)
Genisteína (soja)

Reações alérgicas de ovos e soja são casos raros, os mais comuns são trigo e leite. Não só as proteínas desses alimentos causam reações alérgicas como os produtos químicos, conservantes e sódio que são adicionados neles, trazendo danos sérios à saúde nos fazendo questionar qual a causa real.

Por isso o melhor caminho para o emagrecimento com certeza é a mudança de hábitos alimentares, cortando, substituindo ou diminuindo significativamente da dieta alimentos industrializados, embutidos, derivados de leite e farináceos (trigo).

Para identificar de forma correta a alergia alimentar existem exames específicos.

COMPULSÃO ALIMENTAR

Dentre as causas mais frequentes da obesidade a compulsão alimentar é com certeza a mais grave, calcula-se que 51% da população mundial é viciada em comida. A comida está no topo da hierarquia do prazer ocasionando danos irreversíveis pra saúde e pra vida como um todo.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), desde 1980, os níveis de obesidade no mundo duplicaram. Em 2008, 1,4 bilhões de adultos acima de 20 anos estavam acima do peso, sendo que desses, 200 milhões de homens e 300 milhões de mulheres eram obesos.

E os dados são ainda mais alarmantes, pois 65% da população mundial vivem em países onde o sobrepeso e a obesidade matam mais do que condições Relacionadas com o baixo peso. Ainda temos o fato que 40 milhões de crianças abaixo da idade de cinco anos estavam com sobrepeso em 2011. A comida está no topo da hierarquia do prazer e não é a toa que se lucra bilhões com fast-foods diariamente. O vício alimentar tem o mesmo processo químico no cérebro que drogas ilícitas.

O compulsivo é movido pelo sistema límbico (emoções), ele come por prazer e assim tem seu sistema dopaminérgico acionado repetidas vezes, fazendo com que o sistema nervoso se acostume, transformando esse processo em um hábito. Quando o sistema Dopaminérgico é acionado o cérebro produz um neurotransmissor chamado Serotonina ( que traz bem estar, felicidade e várias outras funções vitais).

A descarga de dopamina é acionada assim que o indivíduo pensa na comida (ou alimento em questão) e enquanto ele não ingere esse alimento, entra num processo de dor e desespero. Após a ingestão do alimento de desejo, a Serotonina é produzida, trazendo a sensação de êxtase e relaxamento e quando o nível de Serotonina cai vem á sensação de depressão e descontentamento, fazendo-o buscar a repetição do mesmo processo várias e várias vezes ou seja, comendo repetidas vezes, movido totalmente por emoções (sistema límbico), levando o indivíduo a obesidade.

Nesses casos é indispensável um acompanhamento psicológico para tratar o vício, transformando a mentalidade do indivíduo para que consiga mudar seus hábitos alimentares de forma permanente.

A mudança de mentalidade (que é a raiz do problema do obeso) é tão importante que nem a cirurgia bariátrica resolverá o problema, pois continuará viciado, diminuirá o tamanho do estômago, mas irá encontrar outras formas de ter o sistema Dopaminérgico acionado, levando a sair de um vício (comida) e entrar em outro como álcool, drogas ou até mesmo doses repetitivas de açúcar( á relatos de pacientes que bebem leite condensado de hora em hora por exemplo).

A compulsão alimentar tem que ser vista com seriedade e tratamento adequado, analisando os fatores psicológicos que o levam a isso e auxiliando-o a mudar sua postura e atitudes diante da comida.

CAUSAS MAIS FREQUENTES POR MEIO DE HÁBITOS ALIMENTARES

Os maus hábitos alimentares estão entre os tops três no ranking dentre as causas mais frequentes da obesidade.

A população tem um conhecimento muito escasso sobre como se alimentar bem, isso se deve muito as mídias que fazem um marketing totalmente enganoso, promovendo alimentos prejudiciais como se fossem saudáveis.

Na realidade tudo que é industrializado como (processados, refinados, entalados, embutidos ou em conserva), são ricos em sódios, componentes químicos, gordura hidrogenada, açúcares e acreditem componentes assustadores.

Outro equívoco muito comum é da ingestão de alimentos com IG (índice glicêmico) alto. Muitos alimentos saudáveis também contém IG alto, se não buscar o equilíbrio na ingestão deles provavelmente irá engordar.

Quando se introduz alimentos com índice glicêmico alto e carboidratos simples, esses alimentos se transformam em glicose no organismo.

A glicose é de rápida absorção na corrente sanguínea, levando a elevação da glicemia no sangue. Quando a glicose entra no sangue, o pâncreas libera um hormônio chamado insulina pra carregar essa glicose para os órgãos. Quando a glicose é ingerida em excesso, logo depois de ser distribuída para todos os órgãos, o cérebro fecha as portas e a insulina fica vagando na corrente sanguínea procurando aonde descarregar, e onde ela descarrega?

Descarrega na gordura e onde temos mais receptores de gordura no organismo geralmente é na região abdominal.

Além de contribuir para a gordura corporal o aumento da glicose causa a queda do GH (hormônio do crescimento) que ajuda a aumentar a massa muscular e estimula a queima de gordura. O hormônio GH ainda:

- Diminui a síntese de glicogênio;
- Estimula a produção de colágeno;
- Aumenta a retenção de nitrogênio, potássio, fósforo e sódio;
- Fortalece o sistema imunológico;
- Estimula as funções renais.

Por esse motivo as dietas low carb São eficientes e geram resultados tão satisfatórios. O segredo está em diminuir a produção de glicose e aumentar significativamente a ingestão de proteínas (animal ou vegetal) para formação e manutenção da massa muscular.

A mudança de hábitos alimentares é indispensável para combater a obesidade tanto em adultos como em crianças. Com a alimentação adequada raramente a população terá que recorrer a dietas específicas.

(Esse texto é uma forma de instruir nossos leitores levando conhecimento, em casos de dúvidas consulte o seu médico e nutricionista).

wanessa-constancio

POR: WANESSA CONSTÂNCIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *